Pilotando o CAOS

Papa Tango Charlie Alpha Oscar Sierra ou PT-CAOS é o prefixo de um avião que está bem no meio da travessia do Oceano Atlântico, com problemas hidráulicos, os motores em chamas, uma equipe de cabine despreparada para emergências e um piloto que só vê o pôr do sol.
E você está dentro do avião, analisando a movimentação de todos.

Olha para o lado e vê o motor 1 com fogo e fumaça. Olha para o outro lado e vê que o outro motor não está conseguindo continuar sozinho. Máscaras de oxigênio caem. Você olha para a tripulação. Todos estão com uma expressão de medo no rosto e não saem de suas posições. A porta da cabine aberta e o sol que estava se pondo começa a subir.

Sem querer ou por puro desespero, você começa a recapitular como tinha chegado até ali…

Você não conhecia a companhia aérea, não sabia para quais destinos ela voava ou os modelos de aviões em utilização e não tinha a mínima ideia – e nem tem que ter mesmo – como era feita a manutenção das aeronaves.

Mesmo assim, quando atendeu a ligação de um telemarketing qualquer, decidiu acreditar nesta companhia e comprou sua passagem. Sua milhagem seria muito útil para este trecho da viagem. Você conseguiria os melhores lugares com a maior visibilidade, mas isto por si não seria suficiente. Você então pediu um upgrade e foi atendido.

Até a data de início da viagem, as expectativas estavam a mil por hora. Eram tantas coisas para conhecer e outras tantas para fazer. Seria um choque cultural. Logo no check-in, chegou a informação de que alguns outros voos estavam atrasados. Normal.

O tempo passou, o embarque não aconteceu e as linhas dos painéis do aeroporto com a lista de voos começaram a avermelhar. O que eram alguns atrasos se tornaram vários. Como os aviões não conseguiam decolar, outros não poderiam chegar. Não havia espaço infinito para estacionamento.

Começou a movimentação: “Vamos otimizar os aviões!” Gritou um operador. “Destinos próximos podem usar a mesma aeronave”. Só esqueceram da capacidade de passageiros e peso máximo de decolagem.

Outro sugeriu: “Recupera o tempo durante o voo”. Era tudo o que não queria ouvir. Velocidades maiores incorrem em consumo não planejado de combustível. Paradas não planejadas no meio do caminho. E tinha o problema que não havia tripulantes suficientes. Quantos precisam para a decolagem? “Tem certeza de que não precisa de copiloto e nem engenheiro de voo?” “Não, só o piloto e uma comissária para fechar a porta.

Avião cheio. Tanque cheio. PT-CAOS solicita autorização para taxi. Decolagem autorizada. Subiu devagar e chacoalhando. Turbulência não derruba avião.

Dava para perceber que tinha alguma coisa errada. A equipe de um comissário ia de uma ponta a outra sem olhar para o lado. Não conseguia responder as perguntas das pessoas, não sabia o que estava acontecendo e nem como resolver. Serviço de bordo interrompido para leitura do manual. Ficou preso no texto do manual de comissários que dizia: “Se o comandante não falar, não temos problema.”

Luzes amarelas piscando no painel, pera. Luzes vermelhas também. E o comandante do PT-CAOS só via o horizonte.

Máscaras de oxigênio caíram. Volta para a programação ao vivo.

Todos ao lado estão tensos. Todos sabem o que vai acontecer, é só uma questão de quando. Será que alguém de dentro do avião pode ajudar? Alguém aí tem capacitação para manter o avião no ar enquanto tentamos contato com a torre de controle?

PT-CAOS chamando centro de controle! Atenção torre! Estamos com alguns problemas aqui… o piloto, o motor, a hidráulica, os comissários… os únicos que estão fazendo seus papéis corretamente são os passageiros. Uns dormindo, outros assustados, alguns mais exaltados e muitos recém convertidos.

Torre, câmbio! Mandem um piloto urgente! E um copiloto e alguns comissários…

Sobre BIZZETTO, Marco Aurelio

Marco Aurélio BIZZETTO acredita que o mundo pode ser bem melhor se focarmos novamente nas pessoas, em suas competências e principalmente suas diferenças. É administrador de empresas, especialista em Psicologia Oganizacional e MBA em Gestão de Projetos pela POLI-USP. Professional e Executive Coach pela SBC.
Esta entrada foi publicada em CF Gestão. ligação permanente.