Os visitantes e o lago

coaching_futuro_CARREERApós anos de experiência pude perceber que as pessoas se dividem em diferentes perfis comportamentais quando tem que encarar algum tipo de tarefa ou quando possuem determinada necessidade.

Imagine um lago extenso, realmente grande, com montanhas cheias de verde e seus picos polvilhados de neve.  Agora imagine cinco pessoas diferentes chegando a este lago, cinco visitantes – estes são os perfis que gostaria de compartilhar com você.

O primeiro tipo de pessoa, chega à beira do lago, dá aquela espreguiçada, olha para todos os lados do lago e exclama: “nossa, que lago lindo. Olhe aquelas montanhas ao  fundo, veja quela floresta, sinta o cheiro de orvalho. Que coisa maravilhosa!”. Vira as costas e vai embora.

O segundo quando chega, se agacha, sente como é o terreno e pega um punhado de terra. Leva o punhado perto do nariz e sente o cheiro do ambiente, tentando visualizar como seria estar sempre ali.  Não passa disto.

O terceiro é aquele que vai até a beira d’água e coloca a mão para sentir o quanto está gelada, mas só. Qualquer outro envolvimento é exagerado. Ele sentiu o terreno durante a caminhada até a beira, viu uma ou outra pedra e seus tipos. Não quer sujar a mão.

Um dos visitantes é aquele que vai colocar a cabeça na água e tentar ver algo lá embaixo que não vá surpreendê-lo. Ele sente o ambiente e a temperatura da água. Tenta perceber se a água é muito gelada e imagina quanto tempo consegue ficar por lá. Pensa também no tempo que deverá gastar para se acostumar com a temperatura e geralmente grita para os outros: “pode pular que dá pra encarar!”.

O quinto e último tipo de visitante é aquele que, enquanto os outros 4 estavam analisando o terreno e a beleza do local, ficou observando o comportamento dos 4.  Viu a beleza do lago, analisou o tipo de terreno e as pedras no caminho até a água, esperou o terceiro dizer a temperatura e aguardou o sinal verde do que colocou a cabeça na água. Saiu correndo e encarou o lago gelado e maravilhoso de roupa e tudo. Nadou de braçadas por todo o lago e chegou do outro lado. Lá, viu um outro lago ainda mais bonito, mas com outras pessoas. Fez tudo novamente.

Analisando os perfis, conseguimos compará-los com o mundo corporativo. Não entenda que é uma crítica ou que fizemos uma análise de todas as empresas, mas estes seriam os tipos mais comuns:

1. Não adianta chegar, olhar e não fazer nada. Se passar por uma “planta” pode não ser a melhor saída. Com certeza não terá resultados nem recompensas adequadas, mas vai reclamar com tudo e todos alegando que foi injustiçado.

2. Analise o ambiente, fato. Tente ver onde você está pisando, mas não foque só nisto. Este perfil, acha que merece mais, já que foi ele que se preocupou em ver onde estavam pisando. Fica conjecturando milhões de pensamentos, mas ação que é bom, nada.

3. Não tenha medo de encarar a situação. Saia do envolvimento básico. Este perfil é aquele que só fala. Fica dando palpite sobre o que deve ser feito ou não, em quanto tempo e apontando os culpados. Não se envolve na execução e busca “sair na foto” ao final. Espera que seja reconhecido por ter ajudado a direcionar as ações “meia-boca” que estavam sendo feitas pelas outras pessoas.

4. Não adianta demonstrar iniciativa e simplesmente parar por aí. Muitas chances são perdidas simplesmente porque você não quis se envolver mais no desafio. Não adianta esperar por recompensas maravilhosas. Afinal, você só lançou a semente e não colocou o avião pra decolar.

5. Analise o cenário e encare o desafio. Pule de cabeça na aventura, você não sabe o que poderá encontrar lá na frente. Surpresas boas podem ocorrer. Este perfil vai se contentar com a recompensa que lhe for atribuída (já que esta não é sua preocupação), tendo em vista que outros desafios chegarão para que possa ser recompensado novamente.

As pessoas se dividem em 5 tipos diferentes de comportamentos ao chegar à beira do lago bem como no escritório, em casa, com os amigos, com uma tarefa ou uma responsabilidade. Você pode ser qualquer um destes tipos, isto não é o problema. O problema é que você vai reclamar por receber as recompensas conforme seu tipo. E nunca vai ficar contente.

Qual é o seu estilo?

Pense nisto e mude seu destino

CCC – Curta! Compartilhe! Comente!

Sobre BIZZETTO, Marco Aurelio

Marco Aurélio BIZZETTO acredita que o mundo pode ser bem melhor se focarmos novamente nas pessoas, em suas competências e principalmente suas diferenças. É administrador de empresas, especialista em Psicologia Oganizacional e MBA em Gestão de Projetos pela POLI-USP. Professional e Executive Coach pela SBC.
Esta entrada foi publicada em CF Carreira, CF Liderança, CF Life, CF Melhoria Contínua, CF Produtividade. ligação permanente.